segunda-feira, abril 3

Vergonha Sr. Primeiro Ministro


De colonialistas a chupistas!

O nosso primeiro ministro está em Angola com cinco ministros e 70 empresários. Os empresários são "SÓ" 1/3 do nosso Producto Interno Bruto (PIB).
Reparem só na notícia do Jornal de Notícias de 03.04.2006, p. 4:

"Mais do que aumentar o investimento em Angola, no curto prazo, Portugal quer aumentar as exportações para aquele país. Fonte do Governo disse ao JN que "não se pretende colocar a questão entre uma coisa e outra", mas o discurso do primeiro-ministro tem acentuado a necessidade de Portugal aumentar as exportações e José Sócrates aponta Angola como "um mercado preferencial" para cumprir esse desígnio."

Alguns dados contrastantes:

Em 2005 Portugal comprou a Angola cerca de 25 milhões de Euros. Em contrapartida, vendeu a Angola no mesmo período 800 milhões de Euros;

Numa população de mais de 14,5 milhões de habitantes APENAS 20 mil são empregados por empresas estrangeiras;

Angola estava, em 2004, entre os 50 países mais pobres do mundo;

Angola necessita de 400 milhões de dólares para desenvolver uma rede básica de telecomunicações;

80% das estradas do país estão degradadas;

Depois de apenas estes poucos dados dá para perceber que a estratégia dos países mais ricos é "sugar até ao tutano" um país que quer levantar-se depois de muitos anos de guerra civil. Será que estes investimentos farão algum efeito nos milhares de angolanos a viver nos bairros de lata de Luanda? Estes senhores levaram alguma ajuda para combater a cólera que prolifera naqueles bairros por causa da pobreza em que vivem? E porque é que o Sr. Primeiro Ministro levou apenas a "nata" empresarial portuguesa e deixou de fora as pequenas e médias empresas? Como disse Augusto Morais, dirigente da Associação Nacional de Pequenas e Médias Empresas, "É uma corte despropositada que viaja à custa do erário público."

Os pobres serão sempre pobres! Tenha vergonha Sr. Primeiro Ministro!

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home