segunda-feira, março 26

Entrevista a Muhammad Yunus - Prémio Nobel da Paz

"Movo-me no capitalismo para tratar os seus males"

Como define o momento presente da nossa civilização?
É muito excitante. Se o seu editor lhe pedisse para escrever sobre o que vai acontecer em 2020 seria ficção científica, porque não sabe. Se recuasse 20 anos, tentando imaginar o que aconteceria hoje, seria ficção. Nessa altura, nem o fax existia e a internet, nem pensar. Quem pensaria no Youtube, ou no Ipod?

Escolheu a palavra excitante. Que outras lhe vêm à cabeça?
Potencial, ilimitadas possibilidades. É difícil hoje em dia dizer que alguma coisa é impossível Quem ousava dizer há 30 anos que a URSS se iria desintegrar?Mas eliminar a pobreza parece estar a ser mais impossível...Mas nunca ninguém acreditou que a pobreza era algo ultrapassável. O discurso e a prática assentam nesta ideia: vamos viver com a pobreza e facilitar a vida aos pobres, dando-lhes água e comida. O que digo é que a pobreza é anti-natura, é imposta. Só no ano 2000 os líderes mundiais se comprometeram a reduzir a pobreza para metade até 2015. Tal nunca tinha acontecido.

Qual é o modelo político que melhor serve o seu projecto e os seus ideais?
O modelo que está a ser praticado em todo o mundo é o capitalismo, embora com muitas variações. Até as economias socialistas, como a China e o Vietname, estão a incorporar o sistema capitalista. Mas para mim o capitalismo é uma espécie de história que só foi contada a metade, não está desenvolvido. Digo isto porque o item importante no capitalismo, o motor, é o negócio. Mas tem uma definição muito estrita. Diz que o negócio é só para fazer dinheiro, maximização dos lucros. Isto é muito redutor, como se o ser humano só pudesse fazer dinheiro. É uma visão unidimensional do ser humano. A mesma pessoa que quer fazer dinheiro é a mesma pessoa que é afectuosa, preocupada com os outros. Mas isto não está assumido no nosso sistema. Então a solução é o negócio social, um sector - dentro do capitalismo - que trate de muitos dos problemas que o capitalismo criou. A missão é fazer bem às pessoas, sem a preocupação do lucro.

Fonte: DN online (23.03.07)

"Então a solução é o negócio social, um sector - dentro do capitalismo - que trate de muitos dos problemas que o capitalismo criou. A missão é fazer bem às pessoas, sem a preocupação do lucro."

Etiquetas:

1 Comments:

At 26 março, 2007 16:24, Blogger Maria João said...

Finalmente já se está a falar deste Nobel da Paz em Portugal.

O seu trabalho tem sido incrível, mas os media portugueses não lhe deram grande importância.

Que se aprenda alguma coisa com o seu trabalho.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home