sexta-feira, fevereiro 9

Uns apontamentos finais...

A pouco mais de uma hora do final da campanha para o referendo do próximo domingo, deixo aqui uns apontamentos finais para o dia de reflexão de amanhã:

1. Alguém já pensou que a liberalização do aborto serve como uma luva aos milhares de casos de gravidez não desejada, resultado de uma conduta e actividade sexual desregrada? Quantas jovens acordam no dia seguinte com um jovem ao seu lado que não conheciam até esse momento depois de uma noite de "fezada" e sem responsabilidade? Não será que a liberalização funciona nestes casos (que são aos milhares por esse país fora) como uma escapatória a um comportamento irresponsável? Alguém referiu este aspecto durante a campanha? Que eu tenha ouvido... NÃO!

2. Alguém já pensou que a liberalização do aborto vai banalizar aquilo que é um acto muito íntimo e pessoal como é a relação sexual de amor e entrega entre dois seres humanos?

3. Alguém já pensou que a liberalização do aborto vai retirar aos educadores qualquer poder disuasivo e de prevenção contra uma gravidez não desejada e resultado de uma conduta irresponsável por parte dos jovens?

4. Alguém já pensou que uma consciência mal formada (um assasíno, um ladrão, etc...) irá votar de acordo com a sua consciência mal formada, mas votará sempre em consciência? Não poderá acontecer o mesmo com aqueles e aquelas para quem os cifrões são mais importantes que os embriões?

5. Alguém já fez as contas de quanto é que o Governo vai gastar no apoio ao aborto (se é que algum dia isso poderia acontecer!) e ao mesmo tempo fecha maternidades no país para poupar muito menos do que pretende investir no aborto?

6. Alguém ja pensou que os milhões disponíveis para apoiar o aborto poderiam ser muito melhor aplicados em políticas e estruturas de apoio as mães em dificuldade com gravidez indesejada?

Muito mais ficou por dizer nesta campanha. Certamente muito mais ficou por esclarecer. Mas agora é o tempo de pesar na balança de acordo com a sua consciência... se ela for de facto bem formada! E vote! Mas vote com responsabilidade... não com cobardia e "lavando as mãos" como o Governo Português!

Etiquetas: ,

3 Comments:

At 09 fevereiro, 2007 23:31, Blogger Sofia said...

bem dito.

 
At 12 fevereiro, 2007 10:27, Blogger Maria João said...

Pois é! Parece que os portugueses não pensaram muito nestas questões...

Que o Pai nos ajude!

 
At 12 fevereiro, 2007 17:13, Anonymous marina pereira said...

Dando a minha sincera opinião(em relação ás perguntas):

1ª Cá para mim agora devia-se investir imenso na Educação Sexual nos Jovens, investir/melhorar as consultas de planeamento familiar, melhorar o acesso aos métodos contraceptivos(peço desculpa, mas para as pessoas que não pensam e têm mais que um parceiro, é o mais indicado)

2ª Na minha opinião vai continuar a ser uma decisão do casal, tudo bem que se calhar muitas mulheres vão fazê-lo sem os maridos saberem, mas acho que ninguém faz um aborto assim de "ânimo leve".

3ª É agora que cada vez mais os educadores são essenciais para mudar a ideia dos jovens irresponsáveis, há que falar-lhes das complicações dos abortos, há que mostrar que é algo errado.

4ª Quantas pessoas ricas não votam não pois irão continuar a fazê-los a outros países? É a dura realidade.

5ª Ao que parece(segundo ouvi) gasta-se muito mais nas mulheres que têm inumeros problemas após um aborto clandestino(devido a infecções, hemorrogias, etc)

6ª Porque é que as associações que apoiam o não, quase nada fizeram em 8anos, muito mais poderia ter sido feito.

Sou contra o aborto e para mim há-de ser sempre considerado crime, mas temos de pensar também naquelas mulheres que morrem devido a abortos mal feitos. Que haja condições sim, mas é sempre um crime...acreditem, foi muito dificil a votação...só sou a favor que não morram mulheres ás mãos dessas parteiras que até com varetas de chapéu fazem abortos. Para mim será sempre crime.

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home