sexta-feira, novembro 21

Viajar sempre a curtir a onde musical

Nairobi, 21 de Novembro 2008
Safari! É uma palavra que nos faz lembrar férias. Faz-nos lembrar passeio. Até o Socrates já fez um aqui no Quénia. Faz-nos lembrar animais da selva africana. Pois bem. Na verdade, safari é uma palavra em língua swahili que significa viagem. Foi depois usada para muitos outros sentidos, mesmo nos países onde se fala o swahili, como no Quénia.
E é de uma viagem que vos falo hoje. O regresso a uma experiência enigmática, sempre engraçada e cheia de travessuras engraçadas. Ontem, ao final da tarde, desloquei-me da casa provincial à casa onde estudei os 5 anos passados neste país entre 1997 a 2002. Quis ir de transporte público. Isso significa neste país deslocar-se de “matatu”. O matatu é uma carrinha tipo Toyota Hiace, que geralmente em Portugal tem a capacidade máxima de 9 lugares. Pois bem… aqui no Quénia o permitido por lei é de 16 pessoas! Escusado será dizer que vamos ali como sardinhas em lata.
Geralmente os matatus são mais rápidos e mais económicos. Daí abundarem no país. Depois há ainda aquele que seria chamado em terra lusitana o revisor que aqui assume o papel também de “vendedor” da viagem. Explico. Cada matatu tem dois operadores: o condutor e aquele que chama as pessoas e tenta a todo o custo que as pessoas entrem no seu matatu… e então quando vêem um “muzungu” (uma pessoa de cor clara como os europeus) à procura de transporte, faz toda a questão de que vá no seu matatu. É uma honra para eles, segundo parece, transportar estas pessoas. Bom… é também a oportunidade de lhe cobrar uns xelins mais pela viagem. Não fosse eu já saber quando cobram pelo trajecto, provavelmente cobrar-me-iam o dobro. Lá entrei no matatu nº 111. Seguia até próximo do escolasticado, uns 15km da casa provincial.
Depois de 6 anos pude ver que houve melhorias: agora aqui é moda os matatus terem um ecrã de 17 polegadas no interior da carrinha já por si pouco espaçosa devido ao amontoar de pessoas. O que passa nesse ecrã? Nada mais nada menos do que cópias piratas de videoclips musicais baixados da internet. Posso dizê-lo pela qualidade da imagem… Antes a música reggae, hip-pop e rap passavam a todo o volume nas colunas. Agora já há também videoclips nos ecrãs!
Hoje, regressei. E fi-lo mais uma vez de matatu. Tive tal pontaria no horário de tomar o matatu que acabei por viajar num veículo que literalmente levava a porta de correr do lado da carrinha dentro da própria carrinha. Sim, a porta deve ter caído ou algo do género. Mas o mais engraçado é que apenas notei o que realmente era aquele monstro à minha frente depois de uns bons metros andados. Perguntais: então e não viste que não tinha porta? Bom… é que estes matatus quando estão a aproximar-se das paragens vêm sempre com a porta aberta, e depois transportam de tudo. Pensei que era mais uma peça entre tantas outras que por vezes estes matatus transportam. O que vale é que a viagem não foi muito longa, uns 15 minutos, para depois tomar outro matatu que me trouxe de volta a casa.
E assim é a vida nestas paragens! Podeis ver abaixo uma foto e o filme desta façanha (ainda que sem muita qualidade pois tomei a foto e o filme com o telemóvel). Só mesmo para ter uma ideia… porque saber bem o que é só mesmo experimentando em primeira pessoa!



video

Depois do vídeo, eis a foto! Aquilo que se vê sobre o lado esquerdo, branco é a porta da carrinha!


Etiquetas: , , , , ,

1 Comments:

At 23 novembro, 2008 11:17, Anonymous Cris 'UTrilho' said...

Ah ah ah! Realmente temos que ficar um bocado a olhar para ver o que é aquilo!! :D Essas viagens devem ser sempre uma aventura..

É bom ver e ouvir um pouco das tuas experiências aí! Continua a partilhar isso connosco como, aliás, sempre tens feito! :)

Beijinho com saudades*

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home